close

Associação Lutando Pela Palavra cria escolinha de futebol gratuita no bairro Jupiá

3ac26425-828c-41ea-818e-b0a2b28a9f52

 

Juntos, projetos sociais alcançam 80 crianças e adolescentes de uma vasta região com centenas de famílias assentadas


Há pouco mais de 60 dias, 16 garotos de várias idades estão recebendo aulas gratuitas de futebol de campo no bairro Jupiá. Eles fazem parte do mais recente projeto social da Associação de Judô “Lutando Pela Palavra”, entidade sem fins lucrativos e sem apoio empresarial, mantida pelo Ministério cristão que emprestou seu nome a este belo projeto. O único apoio externo recebido pelo pastor Luis Alberto e os ministros Reginaldo Gomes, Ladmir Carvalho e Sofânia Martins Morais, que coordenam a iniciativa, foi dado pela prefeita Fátima Nascimento (DEM), que autorizou o uso do campo de treinamento utilizado pela Associação.

Na escolinha de futebol Lutando Pela Palavra, as aulas são aplicadas pelo professor Walteir “Grilo”, um amante do futebol arte com grande experiência no assunto e cujo trabalho é totalmente voluntário e sem fins lucrativos, assim como o dos coordenadores da Associação. Por conta disso, nenhuma das crianças assistidas pelos projetos pagam qualquer taxa para participar das atividades oferecidas.

9733447b-e6bd-4150-b2ee-b1e5068e91d7

Se comparado ao projeto de Judô, a Escolinha de Futebol ainda está engatinhando, mas o objetivo dos líderes é ampliar constantemente o quadro de alunos. Atingir este objetivo não deve ser difícil para os coordenadores dos projetos, que ao longo dos três anos e meio de atividades da Escolinha de Judô, conseguiram reunir um louvável e promissor clã de 64 judocas.

Estas duas opções de esportes oferecidas às crianças e adolescentes daquela localidade são um importante reforço para as famílias que, residindo na área rural do município, não possuem muitas oportunidades de dar aos filhos uma atividade extracurricular que é tão importante para sua formação.

Neste aspecto, ambos oferecem às crianças uma alternativa de vida mais sadia e também a possibilidade de seguir nos promissores caminhos do esporte profissional. O maior fundamento e filosofia geral destes projetos sociais é a formação de cidadãos que possam construir um futuro melhor.

Por isso mesmo, o critério básico para participar das aulas é a criança estar matriculada numa escola, não ter faltas e manter suas notas na média ou acima dela. Fora o bom desempenho escolar, a Associação não impõe idades mínima e máxima para seus alunos.

1c861569-6c0f-4882-9bcc-6e09e2773fcb

“O que manda é o interesse em aprender e a dedicação de cada um deles, pois é isso que forma o caráter de cidadãos que contribuem para o crescimento coletivo de uma sociedade”, defende o sensei e pastor Luis Alberto, que ministra as aulas de Judô.

VOLUNTARIADO QUE FAZ A DIFERENÇA – Além do que já foi dito até aqui, a importância do trabalho realizado pela Associação Lutando Pela Palavra no bairro Iate Urubupungá, também se esconde nos detalhes. Além da ausência de mensalidades ou qualquer outro tipo de contribuição, as crianças e seus pais também não precisam se preocupar com a compra de uniformes ou qualquer outro material de treinamento, já que tudo é fornecido pela própria entidade. Até o transporte dos alunos que residem nas áreas mais distantes de cada sede esportiva do projeto, é realizado pelos próprios coordenadores. A importância da confraternização entre os atletas é reforçada ainda com as festas realizadas mensalmente para celebrar os aniversariantes do período, ocasião em que até mesmo os pais são convidados a participar.

0c0fcf57-1071-42ee-80e2-21e70ccc06b3

Não é por menos que os projetos acolhem as comunidades de todo o entorno do Residencial “Encontro das Águas”, onde acontecem as aulas de Judô, e do Projeto Jupiá, onde está localizado o Centro de Treinamento de Futebol (próximo à Piscicultura criada pela CESP). “Nossos alunos pertencem principalmente aos vários assentamentos e pequenas propriedades rurais da região. Para se ter uma ideia, apesar das aulas de Judô serem realizadas em área gentilmente cedida pelo Condomínio Encontro das Águas, apenas 04 alunos moram ali. Os outros 60 são de famílias camponesas”, explica o sensei e pastor Luis Alberto, reforçando o enorme alcance social dos projetos.

Quem opta pelo Judô, possui treinos todas as quartas-feiras das 19 às 20h30 e às sextas, das 19 às 21h em espaço localizado no próprio condomínio Encontro das Águas. Já a Escolinha de Futebol acolhe a garotada todos os sábados, das 09 às 12h.

Compartilhe no Whatsapp !
Tags : Destaque