close

Câmara propõe medidas para reduzir risco de assaltos nos Correios

IMG-20180306-WA0045

Iniciativas são do presidente “Tião Japonês” e do vereador Juliano, que criticam a falta de regras do Governo Federal para proteger clientes e funcionários destas agências

 

A Câmara de vereadores castilhense começa a discutir nas próximas sessões dois Projetos de Leis apresentados por três legisladores com o objetivo de reduzir o interesse dos assaltantes na agência local dos Correios, ao mesmo tempo em que protege tanto clientes quanto funcionários durante estas ações cinematográficas já registradas no município e em toda a região.

 

O primeiro destes foi proposto em conjunto pelo presidente da Casa – Sebastião Reis de Oliveira (Tião Japonês, DEM) e o edil Juliano Viscovini (Juliano do João de Barro, PMDB) obrigando a agência a instalar portas giratórias com detector de metais.

 

O segundo, de autoria do professor Giovany Vicente (PRB), obriga o Correio a manter um serviço permanente de vigilância durante todo o período de funcionamento da agência.

 

Segundo a proposta de Tião e Juliano, a porta giratória deverá seguir os mesmos padrões da instalada na agência local da Caixa Econômica Federal, com travamento automático e proteção contra tiros. O prazo determinado para cumprimento desta exigência municipal após a aprovação do projeto tanto na Câmara quanto na Prefeitura, será de 180 dias. Caso o Correio se recuse a cumprir a determinação das autoridades locais, ficará sujeita a aplicação de multas e até mesmo à interdição de suas atividades no município.

 

O prazo sugerido por Giovany para o cumprimento da medida apresentada por ele é de 120 dias a contar da data da publicação da Lei de sua autoria. Para o caso de descumprimento, ele propõe a aplicação de advertência, multa e também a suspensão do Alvará de Funcionamento expedido pelo Município.

 

ALVOS FÁCEIS – A falta de uma regulamentação federal mais rigorosa para assegurar a segurança de funcionários e clientes das agências dos Correios que funcionam como Bancos Postais é o principal motivo para a reação enérgica dos vereadores.

 

Tião e Juliano afirmam que esta fragilidade da segurança é o motivo principal para que tanto a agência castilhense quanto centenas de outras existentes no país tenham se tornado “alvos fáceis” de quadrilhas especializadas neste tipo de assalto rápido e perigoso.

 

Giovany argumenta que apesar da eficiência e agilidade das polícias Civil e Militar no combate a este tipo de ação, os vereadores não podem permanecer parados sem adotar medidas ao seu alcance para prevenir e aumentar a segurança dos munícipes.

 

Os três autores acreditam que seus projetos possuem total apoio popular e serão aprovados por unanimidade pelos demais vereadores, seguindo então para aprovação e regulamentação por parte da Prefeitura.

Compartilhe no Whatsapp !
Tags : Destaque