close

Clube Paraíso é Ouro em competição estadual de desbravadores

 

Evento que aconteceu entre os dias 25 e 30 de julho, reuniu na cidade de Barretos, 23 mil participantes de todo o Estado

 

A participação da equipe do Clube de Desbravadores “Paraíso” nas competições do VII CAMPORI DA UCB, rendeu a Castilho o troféu de Ouro. O grupo venceu todas as 09 provas das quais participou, atingindo 100% de aproveitamento nas disputas. O título de Clube Padrão Ouro foi obtido nas provas de Obstáculos, Fogo e Fogões, Ordem Unida, Nós e Amarras, Sinais Semafóricos, Prova de Nutrição, Prova das Pragas e Visita ao Museu dos Desbravadores.

Castilho foi representado no evento por uma delegação composta por 33 pessoas, entre adultos e crianças castilhenses. A 7ª edição do CAMPORI aconteceu na cidade de Barretos, onde cerca de 23 mil jovens se reuniram entre os dias 25 e 30 de julho. Organizado pela Igreja Adventista do 7º Dia, o evento é uma competição estadual onde os jovens competem entre si, em provas de demonstração de ordem unida, acender fogueira sem fósforo e em menor tempo, vencer percursos com lama e cama de gato, entre várias outras modalidades típicas dos acampamentos de desbravadores.

Fundado em 16 de junho de 2013, o Clube de Desbravadores “Paraíso” recebeu este nome em homenagem à cidade de Castilho – conhecida como Paraíso do Pescador, por ser banhada pelos rios Tietê, Aguapei e Paraná.

A delegação que foi a Barretos com o apoio da prefeitura Municipal de Castilho, incluiu, além das crianças, uma enfermeira, um segurança e uma cozinheira. O vereador Itamar Vieira também acompanhou o grupo, dando o apoio necessário à equipe.

O acampamento foi realizado no parque do peão “Os Independentes”, de Barretos. Para falar sobre esta experiência, o Grupo Portal, ouviu o diretor do Clube Paraíso, Alcir Rodrigues que em meio à competição já nos antecipou: “Estamos lutando pra trazer troféu de ouro para Castilho”. E eles conseguiram. Também ouvimos dois adolescentes e uma mãe sobre a importância do Clube de Desbravadores e o impacto que esta primeira participação no CAMPORI causou em suas vidas.

DEPOIMENTOS – Aos 15 anos de idade, esta foi a primeira vez que o jovem Jhonatas dos Santos participou desta aventura. Para ele, a experiência de ficar tantos dias em meio a um grupo de adolescentes equivalente à soma de toda a população dos municípios de Castilho e Nova Independência, ficará marcada para sempre em sua memória.

thumbnail_20427034_1408814872488588_1973509168_o

“Foi tudo muito legal e me incentivou bastante, mostrando que sou capaz de fazer mais do que eu achava que podia”, relatou Jhonatas. Infelizmente, porém, nem todos os jovens de seu Clube puderam participar deste grande encontro. “Eles perderam bastante coisa boa lá. Foram várias aventuras e muitas novas amizades que conquistamos a cada dia. Aos pais que por diferentes

motivos não deixaram seus filhos participarem desta experiência, peço que permitam a ida no próximo evento, pois o encontro é muito legal e nos incentiva a continuar sempre ativos no Clube e na própria Igreja, o que é importante para a nossa formação de caráter”, aconselha o jovem.

Ele também aproveitou a entrevista para convidar outros jovens de Castilho a conhecer e acompanhar as atividades do Clube de Desbravadores “Paraíso”. “Quem for notará que é muito legal e que se trata de uma nova experiência que serve para toda a vida”, afirmou.

Rafaela Flandres, de 13 anos, é a capitã da equipe que representou Castilho na 7ª edição do CAMPORI. Em entrevista ao Grupo Portal, ela relatou que esta foi sua primeira viagem longa sem a companhia dos parentes mais próximos. “Foi uma alegria enorme, uma emoção muito forte e a espiritualidade vivenciada a cada momento contou muito. Eu me senti responsável. Senti que minha família confia em mim por ter me deixado viajar sem a supervisão deles. Isso fez com que eu me sentisse feliz e radiante pela confiança que minha mãe e minha avó depositaram em mim”, contou.

Paula e Rafaela FlandresSua mãe, Paula Lesse, concorda com as atividades da filha e a incentiva a continuar. “A Rafaela já está no Clube há mais ou menos dois anos, mas até agora só havia participado de atividades realizadas pelo grupo aqui mesmo na Cachoeirinha e na cidade de Pereira Barreto, que é praticamente do lado. Este ano decidimos que seria hora dela aproveitar sua liberdade fazendo aquilo que gosta e na presença de pessoas que partilham de sua crença. E tudo isso só é possível por causa do incentivo e suporte que a Igreja Adventista dá para as crianças no Clube dos Desbravadores. Eles [diretores e coordenadores dos grupos] transmitem confiança para nós que somos pais, mostrando que também podemos confiar em nossos filhos. A adolescência de hoje em dia é mais rebelde do que em minha época. Mas com o Clube Desbravadores, descobri que minha filha só aprende coisas boas e que confiar nela é importante para completar o trabalho que a Igreja realiza com estes jovens. A melhor coisa que aconteceu nestes dois últimos anos foi a Rafaela entrar para o Clube e eu não vejo a hora dos outros dois terem idade para entrar também”, admite Paula, que também é mãe dos pequenos João Paulo de 04 anos e Gabriel, de apenas 03. A idade mínima para entrar nos Clubes é de 06 anos.

Passar um tempo longe de casa faz os jovens compreenderem que eles têm que assumir algumas responsabilidades que em seus lares fica à cargo dos pais. Rafaela também nos contou sobre sua rotina diária e as responsabilidades assumidas: “a gente acordava às 06h para nos arrumar, arrumar nossas barracas. O café da manhã começava a ser servido às 6h30. Às 08h começava o culto na arena, onde permanecíamos até às 09h, quando iniciavam as provas diárias para os Clubes”. Sobre a participação de sua equipe na competição, ela informou: “Da minha equipe não foram muitas pessoas. Apenas três membros da minha unidade de Desbravadores contando comigo, além de duas conselheiras, estiveram em Barretos. Mas a participação da equipe em todas as atividades foi muito boa”, avalia. Àqueles que não puderam participar do evento, Rafaela pediu que não fiquem tristes pois poderão estar reunidos nas próximas oportunidades, como, por exemplo, o CAMPORI da Divisão Sul-americana, que acontecerá em 2019.

A jovem também enviou recados aos pais que não permitiram a ida dos filhos e aos adolescentes que gostariam de conhecer o Clube de Desbravadores: “Aos pais que não deixaram os filhos irem por algum tipo de medo, digo que podem permitir sem preocupação, porque a Diretoria é muito responsável e tem muito cuidado com todos nós. Sou testemunha viva da importância que a confiança dos pais em seus filhos representa, afinal de contas, somos o espelho deles e tudo aquilo que aprendemos na Igreja e no Clube, usamos sempre. Para os jovens, trata-se de uma experiência maravilhosa. Aqueles que quiserem conhecer e participar conosco, basta comparecer a qualquer reunião do Clube aos domingos, das 09 às 11h, na escola dr. Youssef Neif Kassab, pois serão bem recebidos. Os interessados também podem comparecer aos cultos na Igreja Adventista e conhecer um pouco mais sobre a Palavra de Deus”.

Sobre as provas, Rafaela comentou que apesar da rivalidade saudável que pairava no ar por conta da competição, foi possível fazer novas amizades com jovens de várias cidades do Estado. “A gente escrevia ‘Abraço Grátis’ numa folha de papel e pregava na blusa. Quem se identificava contigo, chegava para conversar, trocar e-mails, telefone, endereços nas redes sociais e etc.. Com isso surgiram muitas novas amizades”.

Para finalizar, a jovem líder agradeceu toda a Direção do Clube pelo apoio e suporte oferecido na viagem, aos membros da Igreja e, principalmente, à sua mãe e avó pela confiança e incentivo.

Marco Apolinário – Grupo Portal

Compartilhe no Whatsapp !
Tags : Destaque